Flexibilidade e Alongamento

Você sabe porque a flexibilidade é importante para o seu treinamento e seu dia a dia?
Na infância o corpo possui todas as características necessárias para termos uma boa flexibilidade, ou seja, tem boa amplitude articular, boa elasticidade dos músculos, etc. Conforme vamos envelhecendo, nossa amplitude articular, assim como os outros fatores, vão tornando-se mais limitados, e isso prejudica a flexibilidade. Se fizéssemos alongamento desde crianças, durante a adolescência até a fase adulta, não teríamos estas perda de flexibilidade característica.
A flexibilidade é uma valência física que possui forte relação com a qualidade de vida das pessoas e com o rendimento nos esportes. Porém, é necessário diferenciarmos flexibilidade de alongamento e descobrirmos suas principais utilidades.
  • Flexibilidade: aceito por muitos autores como um conjunto de fatores que engloba amplitude articular, elasticidade dos músculos, elasticidade dos tecidos adjacentes ao músculo (conjuntivo) e capacidade de relaxamento do músculo. É considerada a valência física propriamente dita.
  • Alongamento: é a forma de adquirir flexibilidade, pode ser denominado como uma forma de treinamento, na qual existem vários métodos.
Com base nas informações acima, constatamos que o indivíduo REALIZA alongamento para ADQUIRIR flexibilidade.

É importante mencionar que o alongamento pode ser feito de maneiras diferentes, e com propósitos diferentes. No início da sessão de treinamento esportivo, ele deve ser feito com o objetivo de estimular a musculatura a ser utilizada, neste caso, não se deve manter o alongamento por mais de 10 segundos. Pois se o fizer, serão ativados mecanismos de defesa que dificultarão a contração muscular rápida. Ao término da sessão, o alongamento pode (e deve) ser feito com o propósito de relaxar a musculatura, prevenir contra dores tardias, evitar encurtamento muscular, e, se desejar, ganhar flexibilidade. Neste caso, deve-se segurar a posição por 15-20 segundos, para relaxar e evitar encurtamento, e 30-60 segundos, para ganhos de flexibilidade.
A teoria mais aceita para explicar a flexibilidade é a capacidade de relaxamento do músculo, ou seja, quanto mais o músculo for capaz de relaxar, maior é o grau de amplitude da articulação. Certamente, este grau de amplitude é limitado pelos outros fatores citados acima, principalmente pela amplitude articular.
Existe um pesquisador muito respeitado no Brasil (Estélio Dantas), que defende a diferença entre alongamento e flexionamento. Para ele, o flexionamento é o alongamento realizado em uma intensidade maior (próxima à máxima), e deve ser feito para ganhos de flexibilidade. Enquanto o alongamento serve apenas para relaxar, aquecer e evitar encurtamento.
O alongamento pode ser feito de várias maneiras. São elas:
  • Estático Ativo: neste caso, o indivíduo realiza o exercício de alongamento sozinho, segurando a posição desejada por alguns segundos.
  • Estático Passivo: com a ajuda de uma ou mais pessoas, que posicionam o indivíduo da forma desejada e o “forçam” por alguns segundos. Neste caso o indivíduo alongado não realiza força nenhuma e tem mais facilidade para relaxar a musculatura.
  • Dinâmico: Caracteriza-se por, em um movimento, assumir a posição de alongamento e retornar à posição inicial. Utilizado para o aquecimento articular e para ativar os tecidos muscular e conjuntivo que serão utilizados.
  • Balístico: este método consiste em insistir na posição final do exercício várias vezes, indo e voltando. Deve ser evitado, ou realizado com muita cautela, com uma cadência baixa. Pois, neste método, são ativados mecanismos de defesa (diferentes dos citados anteriormente) que irão dificultar o relaxamento da musculatura, mantendo-a levemente contraída, o que pode resultar em perda de flexibilidade e até mesmo em lesões como distensões leves e graves.
  • Método 3S: variação do método passivo, de origem oriental. Consiste em segurar a posição final por alguns segundos, em seguida o individuo alongado realiza uma forte contração do músculo alongado por 3-5 segundos e relaxa, neste momento o ajudante “força” mais ainda o alongamento, simultaneamente. Repetir 3 vezes.
Popularmente, os termos “alongamento”, “flexibilidade”, “elasticidade”, entre outros, são utilizados para a mesma coisa. Mesmo assim é importante que saibamos diferenciar, quando necessário.
Para finalizar, gostaria de lembrar que não deixem de fazer alongamento, nunca, pois um indivíduo flexível realiza as tarefas diárias com muito mais facilidade que um indivíduo encurtado.
About these ads

2 respostas para Flexibilidade e Alongamento

  1. Mr WordPress disse:

    Hi, this is a comment.
    To delete a comment, just log in, and view the posts’ comments, there you will have the option to edit or delete them.

  2. [...]  (já aprendemos a diferença entre flexibilidade e alongamento em outro post, se não lembrar, clique aqui). [...]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: